Aécio defende refundação do PSDB e oposição propositiva

05/11/2010 às 11:25 | Publicado em Política | Deixe um comentário

VALDO CRUZ

DE BRASÍLIA

Ex-governador de Minas e senador eleito, Aécio Neves, defende a "refundação do PSDB" para recuperar sua "identidade". Para isso, propõe refazer o programa partidário dos tucanos até maio do próximo ano.

O novo texto, segundo ele, defenderia sem "constrangimentos" as privatizações do governo FHC e, ao mesmo tempo, fugiria de armadilhas eleitorais fixando que empresas como Banco do Brasil e Petrobras devem ser preservadas como estatais.

No Senado, o tucano mineiro promete uma "oposição generosa" à presidente Dilma nas discussões sobre as grandes reformas e "aguerrida" na defesa das instituições democráticas, da ética e na fiscalização dos atos do Executivo.

Aécio repete que o presidente Lula "atropelou algumas das nossas instituições" durante a campanha, mas diz que a "eleição está passada" e a "presidente foi eleita legitimamente".

Preterido na disputa interna por José Serra, ele evita criticar o colega paulista, classificado por ele de "um guerreiro". A seguir, trechos da entrevista.

FOLHA – Derrotado, qual o papel do PSDB no governo Dilma?
Aécio Neves – Existiu um pensador inglês que deixa um ensinamento tanto para o governo que assume como para a oposição. Benjamin Disraeli, primeiro-ministro da Inglaterra (1804-1881), dizia que para haver um governo forte é preciso haver oposição forte. É esse papel que temos de desempenhar.

O PSDB precisa de mudanças diante das últimas três derrotas, em que sempre esteve em conflito com seu passado?
Avalio que estamos no momento de refundar o PSDB para recuperar nossa identidade partidária. Por isso, estarei propondo ao partido que, daqui até maio, quando teremos nossa convenção partidária, possamos refazer e atualizar o nosso programa partidário.
Vou sugerir um grupo de três notáveis do partido para coordenar essa refundação do PSDB, conduzir conversas com setores da sociedade, instituições organizadas, para que nesse período possamos construir um novo programa partidário.

Quem seriam os três notáveis?
O presidente Fernando Henrique, o candidato Serra e o ex-presidente do PSDB Tasso Jereissati.

Qual a linha dessa refundação?
Que fale da nossa visão sobre privatização sem constrangimentos. Temos de mostrar como foi importante para o país as privatizações das telecomunicações, da Embraer, da Vale. Ao mesmo tempo assegurar, de forma clara, que existem empresas estratégicas do Estado que não estarão sujeitas a qualquer discussão nessa direção, como o Banco do Brasil, a Petrobras.

O sr. quer acabar com as armadilhas eleitorais em que o partido caiu nas últimas eleições?
Temos de falar disso com altivez, reconhecendo e assumindo o nosso legado. Não existiria o governo do presidente Lula com seus resultados se não tivesse havido os governos Itamar Franco e Fernando Henrique.

É uma defesa do passado?
Não, sugiro mais, um novo pacto federativo. Criaria novos critérios para cargos de confiança, profissionalização do funcionalismo público, enxugamento violento dos cargos de confiança do governo.
Devem fazer desse novo programa também a defesa da liberdade de imprensa, dos próprios valores democráticos, questões como a da reforma política, do voto distrital misto.
Propor ainda uma política externa baseada no tripé que passa pelas relações com países que defendam democracia, os direitos humanos e respeitem nossos interesses comerciais.

O ex-presidente FHC disse que não mais apoiará um PSDB que não defenda seu passado. Está em linha com o que defende?
Eu compreendo a angústia do presidente, mas não vou, numa hora dessa, olhar para trás, vou olhar para a frente. O governador Serra defendeu com extrema altivez e coragem pessoal as teses que achava que deveria defender, foi um guerreiro nessa campanha, defendeu valores extremamente importantes.

E sobre lançar daqui a dois anos o candidato do PSDB a presidente em 2014, tal como propôs FHC?
Não sei se é hora de pensar nisso. A vida é feita por etapas, não podemos é correr o risco de ter um processo atropelado no final.

O momento é mais de a "luta continua", fala de José Serra após a derrota, ou de estender a mão, de Dilma Rousseff?
Temos como exercer uma oposição aguerrida na defesa das nossas instituições, da própria democracia e na fiscalização permanente das ações do governo, colocando limites em eventuais excessos. E, ao mesmo tempo, exercermos uma oposição propositiva, que apresente propostas em torno de uma agenda de Estado, e não de governo. Aí entra na pauta a agenda das grandes reformas. Devemos estar dispostos a sentar à mesa na busca de construção de consensos em torno dessas reformas.

Quais?
Começo pela política, que reorganize nosso sistema político e partidário. A tributária, que aponte na direção da redução da carga tributária. Reforma do Estado brasileiro, que fortaleça Estados e municípios, que vêm sendo fragilizados nos últimos anos. Além da construção de uma política industrial racional, que nos tire da armadilha em que entramos, que nos transforma em exportadores de produtos primários e importadores de produtos manufaturados.
Na discussão desses temas, a próxima presidente encontrará uma oposição generosa, e, ao mesmo tempo, firme na defesa das instituições democráticas, nos limites éticos.

O presidente Lula pediu à oposição que não seja raivosa em relação ao governo Dilma.
Não vamos fazer aquela oposição raivosa exercida pelo PT ao governo FHC, votando contra tudo. O próprio PT deve ter aprendido com isso. O Brasil está maduro para ter outro tipo de oposição. Não me sentirei diminuído, ao contrário, se for convidado a sentar à mesa com outras lideranças para discutir questão previdenciária, política, tributária, reforma do Estado.

Durante a eleição, sua relação com o presidente Lula, que sempre foi boa, ficou desgastada.
Olha, temos de compreender isso como parte do processo eleitoral. Passado o calor eleitoral, todos temos de ter a disposição para conversar. Só uma oposição frágil e insegura se negaria a discutir temas com o governo essenciais à vida nacional.

O presidente Lula extrapolou na eleição de 2010?
A eleição está passada. Quem tem de fazer esse juízo é a sociedade. A presidente foi eleita legitimamente, tem todo direito de montar seu governo da forma que achar mais adequado, encontrar seu norte político.

A fila andou no PSDB? O sr. é o próximo candidato a presidente?
[rindo] O PSDB nunca teve dificuldades de quadros, continua não tendo. Só alguém neófito em política se lança candidato de si próprio. Eu estarei à disposição do partido para cumprir o papel que me designar.

Quem foi o personagem da eleição de 2010?
O presidente Lula. Construiu uma candidatura à revelia do seu partido e venceu. Essa é a marca que fica. Atropelando em determinados momentos algumas das nossas instituições, mas venceu as eleições e temos de reconhecer essa vitória, não nos fragilizarmos a partir dela.

O sr. pode sair do PSDB?
Meu destino é no PSDB.

Defende a abertura de uma janela partidária para troca de partidos no próximo ano?
Não acho que seja o essencial. Deveríamos voltar a discutir a cláusula de desempenho, que limita o número de partidos. Defendo a volta da cláusula de barreira, que limite o funcionamento dos partidos na sua representatividade da sociedade.

http://www1.folha.uol.com.br/poder/825708-aecio-defende-refundacao-do-psdb-e-oposicao-propositiva.shtml

Folha flagra Dilma tomando banho de mar na praia de Itacaré

05/11/2010 às 11:22 | Publicado em Política | Deixe um comentário

A Folha flagrou nesta sexta-feira a presidente eleita, Dilma Rousseff (PT), na praia de Itacaré, na Bahia. Ela tomava banho de mar vestindo um maiô escuro e estava acompanhada de dois assessores e um agente da Polícia Federal.

ANA FLOR
MATHEUS MAGENTA
ENVIADOS ESPECIAIS A ITACARÉ (BA)

O grupo estava estava em dois quadriciclos vermelhos e se deslocava pela orla.

Dilma ficou cerca de 15 minutos no mar e, depois, caminhou por mais 15. Ela saiu da água enrolada numa canga azul e depois vestiu uma saída de banho cor de rosa. Antes de ir embora no quadriciclo, ela descansou embaixo de um toldo azul, que abrigava também uma caixa térmica, com frutas, biscoitos, cereais e água de coco.

Ontem, Dilma foi vista ontem na casa do empresário paulista João Paiva, na praia de Patizeiro, a cerca de 30 km do centro de Itacaré. Pouco conhecido, Paiva tem uma mansão isolada no topo de um morro cercado de mata nativa e com vista para o mar. Projetada pelo arquiteto Claudio Bernardes (1949-2001), a casa é considerada uma das mais luxuosas de Itacaré, retiro de artistas e grandes empresários.

A construção já foi capa da "Casa Vogue", que a descreveu como a "materialização do paraíso tropical", em 2007. Segundo a revista, são 1.200 metros quadrados erguidos em "linhas contemporâneas equilibradas em pedra, madeira e vidro".

Paiva voa de São Paulo para lá pelo menos uma vez por mês, em jato executivo.

A estada de Dilma na Bahia foi organizada pelo ex-ministro da Justiça Márcio Thomaz Bastos. Na quarta, a aeronave que decolou de Brasília com a presidente eleita pousou em Ilhéus (BA).

Um dos assessores que acompanha a petista disse que ela deve retornar a Brasília amanhã.

Na segunda-feira, Dilma viaja com o presidente Lula para a Ásia. Antes, porém, deve dar uma passada em Porto Alegre para ver a filha Paula e o neto, Gabriel.

"Resta saber qual será o preço desta estadia de luxo em Itacaré".

Entenda como déficit zero melhorou a vida dos gaúchos.

04/11/2010 às 17:07 | Publicado em Política | Deixe um comentário

Nos quatro anos do governo Yeda, a arrecadação de ICMS apurará crescimento de 50% em valores nominais, passando de R$ 11,8 bilhões em 2006 para R$ 17,5 bilhões ao final deste ano de 2010.

. O déficit zero, alcançado no segundo ano de mandato e mantido até agora, deve-se não apenas à redução das despesas e à melhor gestão financeira e fiscal, mas em boa parte ao avanço da receita.

. Os investimentos públicos foram retomados e ampliados em relação a qualquer governo anterior. Apenas neste ano, unicamente para novas obras rodoviárias, os investimentos alcançarão R$ 1 bilhão – mais do que em qualquer período de governos anteriores.

. Alguns destes dados aí de cima foram listados no pronunciamento que a governadora Yeda Crusius fez nesta quinta de manhã, ao fazer um balanço dos chamados Programas Estruturantes (13 programas de ações de governo nas áreas econômicas e sociais, que cruzam entre si através de agências do governo).

. O governo revelou que ao alcançar o déficit zero em 2007, terminou o ano com superávit de R$ 623 milhões. Em 2008 foram R$ 443 milhões e no ano passado alcançaram R$ 10 milhões apenas.

. Yeda analisou muitos dados, mas o editor preferiu pinçar estes quatro dados da área da segurança pública, todos alcançados no seu governo:
1) mais 2.138 viaturas.
2) 9.298 brigadianos e policiais nomeados.
3) 10.923 vagas abertas em presídio.
4) drástica redução, este ano, de crimes como furto (7,8%), futo de veículos (10,4%), roubo de veículos (18%), extorsão (13%) e extorsão mediante seqüestro (35,7%). Outros cinco dos 11 itens listados no site da Secretaria da Segurança prosseguem altos, mas dois deles são ligados à drogas.

CLIQUE AQUI para examinar as estatísticas comparativas.

Ao equilibrar as contas públicas, devastadas por 38 anos seguidos de déficits sucessivos, retomando ao mesmo tempo a capacidade de investimento estadual, Yeda Crusius ajudou a recuperar a autoestima local. Nem mais um único gaúcho é maltratado por seus conterrâneos brasileiros quando sai de casa. Sumiram as piadas sobre o caranguejo gaúcho.

http://polibiobraga.blogspot.com/2010/11/entenda-como-deficit-zero-melhorou-vida.html

Entrevista – Saiba por que o PT perdeu a guerra da Internet

04/11/2010 às 17:06 | Publicado em Política | Deixe um comentário

Entrevista – Saiba por que o PT perdeu a guerra da Internet

Edgar Powarczuk , diretor-Executivo Leandro&Stormer

Qual o resultado que teve a relação entre eleição e a Internet ?
As eleições presidenciais pintaram um quadro impressionista: o Brasil é metade azul, metade vermelho.http://migre.me/1XaMP. Essa nossa Linha do Equador ideológica é uma generalização proposital apenas para comparar com o mapa da penetração da Internet no Brasil.

Seria esta a explicação para a fragorosa derrota do PT na Internet?
Parece ser a mais lógica: o eleitorado “vermelho” não está na Internet, por falta de (ou precário) acesso à rede.

Mas e o Marcelo Branco e os estrategistas de Obama ?
Não adiantou chamar os melhores estrategistas da área – especulou-se, inclusive, a participação do líder interneteiro do próprio Obama A Internet é um fenômeno urbano e concentrado nas regiões de alta renda, na zona azul do mapa.

Quais são as portas para mobilizar as massas ?
As “portas de fábricas” modernas são o Twitter, o Facebook ou o Orkut. É por estes canais que a mensagem chega rápida e eloqüente. Um megafone digital poderoso. Este é um contexto que dará ainda mais urgência ao Plano Nacional de Banda Larga governamental, com alvo em 88% das cidades brasileiras.

Estas portas sempre trabalharão a favor de causas como as de Obama ?
É preciso lembrar, no entanto, que as mesmas redes sociais que ajudaram Obama, neste momento assombram seu governo. O movimento Tea Party, criado por uma Senhora de 55 anos no computador de sua casa, em três meses ganhou repercussão nacional e já interfere nas eleições para os governadores americanos.

E o futuro ?
O que nos salvará é que as redes sociais não são um partido político. Não têm líder, não têm sede, não têm programa, não têm nem ideologia. Nas redes sociais na Internet aderimos a uma causa que costuma ter muitos donos. E assinamos um manifesto radical: autonomia individual.

E-mail: Edgar
Site www.leandrostormer.com.br
http://polibiobraga.blogspot.com/2010/11/entrevista-saiba-por-que-o-pt-perdeu.html

Médico que atendeu José Serra pede explicações a Lula no Supremo

26/10/2010 às 09:01 | Publicado em Política | Deixe um comentário

O médico Jacob Kligerman, que atendeu José Serra na última quarta-feira após o candidato à Presidência ser hostilizado por manifestantes do PT em Campo Grande (zona oeste do Rio), entrou na noite de hoje no STF com um pedido de explicações contra o presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

O pedido, encaminhado por fax pelo advogado de Kligerman, o ex-deputado e candidato derrotado ao Senado pelo PPS Marcelo Cerqueira, tem como base o artigo 144 do Código Penal.

Nele, incluído no capítulo dos crimes contra a honra, se estabelece que "se de referências, alusões ou frases, se infere calúnia, difamação ou injúria, quem se julga ofendido pode pedir explicações em juízo. Aquele que se recusa a dá-las ou, a critério do juiz, não as dá satisfatórias, responde pela ofensa".

Oncologista especializado em cabeça e pescoço, Kligerman foi acusado por Lula de ter participado de uma fraude. Serra, amigo do médico há 40 anos, disse ter sido atingido na cabeça por um objeto pesado, como uma bobina de papel, e Kligerman recomendou que ele passasse por uma tomografia.

"Vou tomar todas as providências possíveis, pois fui ofendido no meu ato médico", disse ele à tarde, durante ato de desagravo promovido por amigos em um restaurante da zona sul do Rio.

Com 46 anos de profissão, Kligerman afirmou que José Serra foi tratado como paciente e que seu único partido é um estilo de samba, o partido alto.

Para o candidato à vice, Indio da Costa (DEM), Lula usa o cargo para distorcer a verdade.

"O doutor Jacob tem décadas de profissão e é um médico muito respeitado. Ele não merece isso. Eu que levei o Serra no hospital e ele estava tonto. Foi uma agressividade do PT. A diferença entre Jacob e o Lula é que o doutor não usa o cargo dele para distorcer a verdade."

Marcelo Cerqueira explicou como será o processo.

"Como duas redes de televisão mostraram versões diferentes do ocorrido, queremos saber se o presidente foi induzido ao erro. Então vamos interpelá-lo no STF para que ele diga qual a versão ele acha que é a correta. Se ele se retratar, acabou o assunto."

http://www1.folha.uol.com.br/poder/820176-medico-que-atendeu-jose-serra-pede-explicacoes-a-lula-no-supremo.shtml

Erenice e Amaury Júnior complicam campanha de Dilma na Polícia Federal

26/10/2010 às 08:44 | Publicado em Política | Deixe um comentário

Esta segunda-feira foi um dia de cão para Dilma Roussef, para o governo Lula e para o PT, porque a Polícia Federal foi para cima da ex-ministra da Casa Civil, Erenice Guerra, e do jornalista Amaury Júnior, ambos envolvidos em patifarias de todo gênero contra o candidato José Serra.

Erenice Guerra – A ex-ministra, substitua de Dilma Roussef, falou durante quatro anos aos policiais e admitiu conhecer e ter conversado com todos os empresários que a acusaram e acusaram seu filho e amigos do seu filho Israel. A amiga de Dilma transformou a Casa Civil na Casa da Família Erenice e ali instalou um mar de lama, ao lado do gabinete do presidente.

Amaury Júnior – O jornalista admitiu que violou o sigilo fiscal da filha de Serra e do vice do PSDB, Eduardo Jorge, com a finalidade de forjar dossiê contra o candidato tucano e favorecer Dilma. Ele disse que suas investigações foram copiadas pelo deputado Ruy Falcão, do PT, um dos coordenadores da campanha de Dilma. Amaury Júnior fazia parte do grupo de inteligência montadono comitê de Dilma no Lago Sul, dirigido pelo ex-prefeito Fernando Pimentel. O grupo pagou Amaury Júnior pelo serviço. O dinheiro saía através do jornalista gaúcho Luiz Lanzetta, que também forjava dossiês e era o coordenador da assessoria de imprensa de dilma.
http://polibiobraga.blogspot.com/2010/10/erenice-e-amaury-junior-complicam.html

Bolívia legaliza sexo a partir dos 12 anos

22/10/2010 às 20:18 | Publicado em Política | 1 Comentário

O Congresso boliviano, dominado pelos partidários do presidente Evo Morales, aprovou uma mudança no código penal do país que descriminaliza relações sexuais entre jovens de 12 a 15 anos.

Como noticia o Clarín, o artigo 308 pune quem mantém relações sexuais com menores de 14 anos, mas exime de sanção “as relações consensuais entre adolescentes maiores de 12 anos, sempre que não exista diferença de idade maior de três anos, entre ambos, e que não se tenha produzido violência nem intimidação”.

A oposição, claro, estrilou, dizendo que o texto libera as relações sexuais entre crianças. Já os governistas afirmaram que os críticos não entenderam bem o espírito da lei – que, dizem, trata apenas de casos “excepcionais” e busca evitar que adolescentes sejam tratados como criminosos.

http://blogs.estadao.com.br/marcos-guterman/bolivia-legaliza-sexo-a-partir-dos-12-anos/

Uma questão de caráter

22/10/2010 às 16:49 | Publicado em Política | Deixe um comentário

– O Estado de S.Paulo

Na reta final do segundo turno da eleição presidencial a baixaria se generaliza. É impossível determinar até que ponto o lamentável rebaixamento do nível do que deveria ser um debate político esclarecedor deve-se à ação direta dos comandos das campanhas.

Certamente, boa parte dessa guerra suja pode ser debitada à iniciativa irresponsável de militantes extremamente agressivos, de ambos os lados, que, principalmente pela internet, lançam mão das mais torpes mentiras para atacar os adversários. Mas há também o horário gratuito na mídia eletrônica, que nos últimos dias vem sendo usado cada vez mais para veicular ataques e acusações. E assim, tudo considerado, não há como eximir de culpa os responsáveis pela condução das campanhas. É tudo muito lamentável e a constatação a que se acaba chegando, com benevolência, é a de que este é, infelizmente, o tributo que se paga à imaturidade política e à fragilidade dos valores democráticos da sociedade brasileira – problemas que muitos julgavam já superados. Somos, portanto, todos responsáveis.

A responsabilidade, porém, deve ser atribuída com peso proporcional à importância de cada um dos atores da cena política. E é aí que assoma o triste papel que vem desempenhando – na verdade, desde sempre – o presidente da República. Lula, que é, reconhecidamente, quem dá o tom da campanha da candidata do PT, não hesita em partir para a agressão sempre que se vê contrariado. E não mede palavras quando parte para o ataque. Nada mais natural, portanto, que seu exemplo de agressividade seja seguido pelos militantes petistas. Até com agressão física, como a que ocorreu em Campo Grande, no Rio de Janeiro, contra o candidato tucano José Serra.

Depois do susto do primeiro turno, o homem que se considera o inventor do Brasil resolveu partir para o tudo ou nada contra aqueles que elegeu como seus principais inimigos: a oposição e a imprensa. Na verdade, ele gosta de achar que uma e outra são a mesma coisa, mas isso faz parte da tática de confundir para dominar.

Na entrega dos prêmios "As empresas mais admiradas do Brasil", ao qual compareceu a convite da revista semanal promotora do evento, Lula pontificou: "Enquanto a classe política não perder o medo da imprensa, a gente não vai ter liberdade de imprensa neste país. A covardia é muito grande." Pouco lisonjeiro para a "classe política", certamente. Mas qual será o significado real dessa exortação? Mais uma ameaça à imprensa que não lhe rende loas? De fato, Lula tem uma visão muito peculiar de qual deva ser o papel dos veículos de comunicação. Foto e exaltação a Dilma Rousseff na capa do jornal da CUT pode. Crítica ao PT na capa da revista Veja é "acinte à democracia e uma hipocrisia". A indignação do presidente parece resultar de que boa parte dos jornais, revistas, rádios e televisões se nega a atender ao pouco que ele pede: "A única coisa que quero que digam é a verdade. Sejam contra ou a favor, mas digam a verdade." Mas, quando cada um tem a sua própria verdade, Lula quer que fiquemos sempre com a dele.

Por exemplo, em comício realizado dias atrás em Goiânia, ao lado de sua escolhida para governar o Brasil, Lula ensinou: "Política a gente não pode fazer com ódio, com agressão. Ninguém aguenta mentira. Não tem nada pior do que um político mau caráter, alguém que não colocou um trilho na ferrovia dizer que ele fez a ferrovia", disse, referindo-se ao candidato ao governo de Goiás Marconi Perillo.

Claro que não se dá conta de que, partindo para a xingação pura e simples, está liberando os seus "balilas" do Rio de Janeiro para a agressão física. Em caso algum se pode admitir que um presidente da República insulte adversários políticos do alto de um palanque eleitoral. No caso de Lula, porém, a coisa é mais grave, considerando-se que se cercando das companhias de que se cercou para constituir maioria no Congresso, que autoridade moral tem para acusar alguém de mau-caratismo?

Como cidadão, Luiz Inácio Lula da Silva tem o direito de tomar partido no processo de sua sucessão – até inventando, como fez, a candidata. Como presidente, tem o dever de se comportar com a dignidade e a moderação que seu cargo exige. Não faz isso, por uma questão de caráter.

http://www.estadao.com.br/estadaodehoje//not_imp628220,0.php

Pronto! A farsa do SBT e do PT está desfeita, agora pelo JN também! Lula mentiu! E o UOL, hein?

22/10/2010 às 13:09 | Publicado em Política | 1 Comentário

VIDEO:

Perito analisa suposta agressão a José Serra no Rio

É de estarrecer, não?

Provado e comprovado: o episódio da suposta bola de papel que atingiu Serra no Rio nada tem a ver com o outro, quando um objeto acertou a sua cabeça e o fez interromper a caminhada. São momentos distintos, conforme prova a confrontação da imagem do cinegrafista do SBT com a filmagem feita em celular por um repórter da Folha. O Jornal Nacional acaba de levar a confrontação ao ar.

É asqueroso que um presidente da República, como já escrevi aqui, não censure a violência da sua turma, como se a tropa de choque fascistóide que tentou intimidar os tucanos fosse uma coisa aceitável. É assombroso que um chefe de governo recorra a uma mentira clamorosa, passe a mão na cabeça de seus tontons-maCUTs e ainda condene a vítima.

O PSDB tem de pedir direito de resposta no SBT e na Record, que veicularam a mentira da bola de papel. Qual mentira? Pode ter havido uma bola de papel, o que só agrava a questão, mas não foi ela a causar mal-estar na vítima. Tem de pedir direito de resposta na campanha de Dilma Rousseff e, quero crer, tem de recorrer à Justiça, também à criminal, contra o sr. Luiz Inácio Lula da Silva, que não é inimputável. Serra teve a sua honra agredida pelo sr. presidente da República.

E o UOL?
Até havia pouco, o UOL sustentava a dúvida sobre a bola de papel, como se as imagens que provam a farsa petista não fossem de um jornalista da Folha de S. Paulo — que pertence ao mesmo grupo.

Nunca antes na história destepaiz houve um presidente como este, que desprezasse tanto o decoro necessário para o exercício do cargo. Nunca antes na história destepaiz houve setores da imprensa como os que vemos hoje, sempre prontos a transformar as vítimas em culpadas.

Lula rebaixou tudo: o decoro, as instituições, a legalidade, a civilidade política e, com as exceções de sempre, o jornalismo.

PS – Ah,sim: este blog já havia antecipado a farsa petista, certo?

Por Reinaldo Azevedo

http://veja.abril.com.br/blog/reinaldo/geral/pronto-a-farsa-do-sbt-e-do-pt-esta-desfeita-agora-pelo-jn-tambem-lula-mentiu-e-o-uol-hein/

RS: Transição civilizada premia governo do déficit zero

21/10/2010 às 18:10 | Publicado em Política | Deixe um comentário

Jornal do Comércio, 19 de outubro de 2010

Editorial

Temos um governador eleito. A transição será feita com civilidade, como é de bom alvitre. Os candidatos foram esmiuçados em suas propostas, suas ideias e suas chances. Mas quem estava no Piratini e lá continua até o final de 2010 pouco destaque ganhou nos quesitos sobre o que fez, como se saiu e o que lhe resta. Para a governadora Yeda Crusius, derrotada, só o tempo lhe fará justiça. Sua vida pessoal e o seu patrimônio imobiliário tiveram mais destaque do que o saneamento das finanças do endividado Rio Grande do Sul. Para ela, poucos deram o obséquio da dúvida ou da boa vontade pelo que estava fazendo, acabando com o déficit que sufocava o Estado. O Tesouro não tinha, até 2008, como bancar sequer o essencial. Acontece que a racionalidade, a linguagem, a descrição e os argumentos usados por Yeda Crusius foram desdenhados. Mesmo quando bateu o ovo de Colombo sobre a mesa das finanças e provou que era possível zerar o déficit, começar a pagar os precatórios e os fornecedores e iniciar um programa rodoviário, as críticas aumentaram. Mas os argumentos da primeira mulher que assumiu o Piratini baseavam-se na realidade e se dirigiam a uma audiência de todos os gaúchos. Isso pressupunha um realismo difícil de se aceitar. Mas a negação do realismo – que continuou e ainda persiste quanto às iniciativas no sistema prisional, nas rodovias e na revitalização do Cais Mauá – é como não admitir nem as obras de arte. Beira à megalomania, que, segundo alguns, é a mais difundida doença ocupacional dos políticos contemporâneos. Esqueceram que a governadora não estava diante de uma plateia de desinteressados, de leigos obtusos no Rio Grande. Por isso mesmo ela não conseguiu, e nem desejava, explorar a credulidade, a ignorância ou a dependência do poder da população em geral. Muito menos dos seus adversários políticos. Porém assistimos a um quase ceticismo organizado que ainda se mantém sobre a verdade administrativa estadual. Claro que Yeda Crusius não tinha poder para decretar a realidade dos fatos que anunciava. Mesmo que a realidade se impusesse. Professora de economia, apresentava os fatos com a integridade intelectual que lhe era inerente. Talvez daí adviesse a sua áurea de autoritária. Não tinha como responder, um por um, aos que duvidavam de números. Agia na política como fazia na comunidade acadêmica cultural, ainda que situações heterogêneas. Max Weber ensinou que não há como se agir simultaneamente com ambas as situações, ou seja, na sala de aula como no governo, “porque o profeta e o demagogo não pertencem à cátedra acadêmica”. Só houve uma maneira para que a governadora defendesse racionalmente as suas propostas, mostrando as suas consequências lógicas no progresso do Estado. Exibia a fertilidade do que era feito e estava sendo programado para elucidar assuntos em que só valia a teoria do conhecimento. No entanto, a razão só entende aquilo que produz segundo os seus próprios interesses. Yeda Crusius, durante o seu governo, teve a disposição para ouvir argumentos e aprender com a experiência. Admitiu que pudesse ter errado aqui ou ali e que alguns dos seus críticos estivessem certos. Assim, com um esforço conjunto, ambos antagonistas poderiam encontrar a verdade administrativa do Rio Grande do Sul.

Os nazistas estão nas ruas! Serra é agredido no Rio. O chefe da facção é o presidente da República

20/10/2010 às 16:18 | Publicado em Política | Deixe um comentário

Quando aquele grupo de fascistas foi constranger os donos da gráfica Pana — que imprimia o material da Diocese de Guarulhos e que também havia trabalhado para petistas —, afirmei que as tropas de assalto dos nazistas estavam nas ruas; comparei a ação do grupo aos métodos da Sturmabteilung, a SA de Ernst Röhm, do tempo em que o nazismo não havia ainda se profissionalizado. Exagero? Eu apenas submeto a uma projeção aquilo que no petismo é ainda incipiente, imaginando, a partir de dados que eles próprios me fornecem , até onde podem chegar.

Hoje, um destacamento da Sturmabteilung (SA) agrediu o tucano José Serra. Agressão física mesmo! O candidato caminhava com partidários e aliados pelo calçadão de Campo Grande, na Zona Oeste do Rio, quando se deparou com um grupo de militantes petistas, organizado com a finalidade exclusiva de constranger os tucanos e lhes tirar o direito constitucional de ir e vir. O pessoal da SA tentou impedir a passagem da social-democracia. Houve enfrentamento. Uma bobina de papel atingiu a cabeça de Serra, que chegou a ficar um pouco zonzo e teve de ser atendido no hospital Sorocaba. Pedras foram lançadas contra o grupo, que era acompanhado por repórter que cobriam a caminhada.

Quem é o (i)rresponsável por isso? Luiz Inácio Lula da Silva, o presidente da República, cuja retórica de palanque simula uma guerra. Foi ele que, ao abandonar qualquer princípio de decoro a que sua condição obriga, ao renunciar à liturgia própria do cargo para se dedicar à campanha eleitoral mais rasteira, arrastou a disputa para o confronto de rua. Com uma diferença: só os seus brutamontes agridem.

Hoje, exercendo o seu papel predileto, o de vítima, Lula anunciou que a Polícia Federal está investigando ligações de telemarketing contra Dilma. Espero que a PF não esteja, também ela, a serviço do PT. Ou Lula não vai pedir que a polícia investigue os panfletos apócrifos contra Mônica Serra encontrados no QG petista?

Recorrendo à única metáfora em que consegue se expressar com alguma clareza teórica, afirmou: “O jogador que quer disputar um título mundial, ele não vai ficar rebolando dentro do campo. Ele vai jogar para marcar gol. Ele vai tirar a bola do adversário. Agora, isso tem de ser feito, mas o baixo nível que a campanha está tomando é uma coisa”. Não sei o que quer dizer direito, mas o certo é que esse jogo não supõe tentar quebrar a cabeça do adversário.

A retórica do presidente sempre foi e continua a ser a de um chefe de facção. E sua tropa de choque está nas ruas obedecendo, na prática, ao comando do chefe.

http://veja.abril.com.br/blog/reinaldo/geral/os-nazistas-estao-nas-ruas-serra-e-agredido-no-rio-o-chefe-da-faccao-e-o-presidente-da-republica/?utm_source=feedburner&utm_medium=feed&utm_campaign=Feed:+ReinaldoAzevedo+(Reinaldo+Azevedo)

Ex-dirigente sindical conta como Dilma Roussef ajudou a privatizar a CRT.

20/10/2010 às 15:22 | Publicado em Política | 1 Comentário

CRT.JPG

Revoltado porque o Sindicato dos Telefônicos do RS usa sua estrutura e o dinheiro que recebe do imposto sindical para defender a candidatura de Dilma Roussef, o ex-dirigente sindical e trabalhador aposentado da CRT, Jorge Castanho, passou a denunciar o crime eleitoral do Sinttel e a lembrar da época em que o próprio Sinttel chamava a candidata de “dama de ferro”. Jorge Castanho lembra em detalhes os pormenores da tentativa de privatização da CRT na época em que era Secretária de Minas e Energia. A venda para a italiana Stet fracassou, mas ao sair do governo a Sra. Dilma Roussef foi contratada pela RBS e ajudou o grupo gaúcho a privatizar a CRT, que passou para o controle da própria RBS e da Telefonica de Espanha.

CLIQUE na imagem ao lado para ampliar e ler a íntegra do protesto indignado de Jorge Castanho (ele enviou cópia ao Sinttel).
http://polibiobraga.blogspot.com/2010/10/ex-dirigente-sindical-conta-como-dilma.html

União gastou R$ 46 milhões com premiações em 2010

20/10/2010 às 13:42 | Publicado em Política | Deixe um comentário

Milton Júnior
Do Contas Abertas

Os gastos da União com distribuição de prêmios a políticos, autoridades, personalidades, atletas, entre outros, deve bater um novo recorde neste ano. A conta paga pelos órgãos públicos federais (incluindo Executivo, Legislativo e Judiciário) para custear “premiações culturais, artísticas, científicas, desportivas e outras” somou o montante de R$ 46 milhões desde janeiro de 2010. Durante todo o ano passado, o gasto atingiu R$ 48,6 milhões, em valores atualizados. A quantia desembolsada este ano é quase quatro vezes maior, por exemplo, que à quantia aplicada com o programa de promoção e defesa dos direitos da criança e do adolescente em todo o ano passado, R$ 9,6 milhões.

300_Premia%C3%A7%C3%B5es%20MinC.jpgAs despesas do governo federal e demais Poderes com premiações já é 20 vezes maior em 2010 do que a registrada no primeiro ano do atual governo. Em 2003, a União gastou pouco mais de R$ 2 milhões com a concessão de condecorações, em valores atualizados. Durante os três anos seguintes, os valores oscilaram entre R$ 13,6 milhões e R$ 19,7 milhões. Em 2007, houve uma despesa maior – R$ 39,8 milhões –, e no ano seguinte foram desembolsados pouco mais de R$ 23,5 milhões. O gasto médio com os serviços, desde 2003, está estimado em R$ 26 milhões por ano.

O Ministério da Cultura (MinC) é o órgão que mais gastou com essas homenagens, segundo dados do Sistema Integrado de Administração Financeira (Siafi). Foram R$ 41,2 milhões pagos com os serviços neste ano, o equivalente a 89% do valor total desembolsado até a última segunda-feira (18). Desde 2003, o MinC desembolsou R$ 160 milhões (valores correntes) para esta finalidade. De acordo com a assessoria de imprensa do ministério, estas despesas são resultado da democratização da gestão pública de cultura no país.

A assessoria explica que boa parte dos editais de seleção pública são prêmios. “À liberação de recursos para esses editais dá-se o nome de premiação, o que não deve ser confundido com condecoração ou congêneres”, afirma. Segundo a assessoria, o órgão tem lançado cerca de 60 editais por ano. Em 2009, foram 83 editais, dos quais 23 de âmbito estadual, e os demais de esfera nacional.

“Os editais culturais lançados pelas unidades do Ministério da Cultura fazem parte da política pública com o objetivo de contemplar a diversidade cultural brasileira, em suas diferentes linguagens e manifestações e, com isso, fomentar a produção de cultura em todo o país”, acrescenta a assessoria.

Dentre os principais prêmios concedidos pelo MinC, está o Mais Cultura de Literatura de Cordel, cuja edição deste ano premiou 200 projetos de difusão, produção, pesquisa e formação de cordelistas, no valor de R$ 3 milhões. Outro exemplo é o Prêmio Cultura Hip Hop, edição Preto Ghóez, também deste ano, que seleciona 134 propostas, de grupos informais, instituições e pessoas físicas, com uma premiação total superior a R$ 1,7 milhão.

O Ministério da Defesa aparece em segundo lugar na lista de órgãos que mais concedem condecorações – R$ 1,6 milhão em 2010. Nos últimos oito anos a premiação aos militares somou R$ 12 milhões. Clique aqui para ver quanto gastou cada órgão desde 2003.

http://contasabertas.uol.com.br/WebSite/Noticias/DetalheNoticias.aspx?Id=300

Tesoureiro do PT é denunciado por formação de quadrilha

19/10/2010 às 14:12 | Publicado em Política | Deixe um comentário

O promotor de Justiça José Carlos Blat anunciou no começo da tarde desta terça-feira (19), perante a CPI da Bancoop na Assembleia Legislativa de São Paulo, que denunciou criminalmente à Justiça o tesoureiro do PT, João Vaccari Neto, por supostos crimes de formação de quadrilha e lavagem de dinheiro.

Blat informou aos deputados da Comissão Parlamentar de Inquérito que investiga fraudes na Cooperativa Habitacional dos Bancários de São Paulo, criada por um núcleo do PT na década de 1990.

Ele também requereu a quebra de sigilo bancário e fiscal de Vaccari.

A denúncia do promotor foi protocolada às 10h57 e será analisada pela 5ª Vara Criminal da capital paulista.
Vaccari foi diretor-administrativo da Bancoop e presidiu a cooperativa até março passado, quando afastou-se do cargo para assumir a função de tesoureiro do PT. O promotor investiga o caso Bancoop desde 2007.

Na denúncia que apresentou hoje à Justiça, ele aponta "negócios escusos da Bancoop, durante a gestão Vaccari Neto, inclusive relacionados a campanhas eleitorais".

Blat suspeita que recursos que teriam sido desviados da cooperativa abasteceram campanhas do PT. Segundo ele, a empresa Germany, fornecedora da Bancoop teria movimentado R$ 50 milhões por meio de caixa 2.(Fonte:Jornal do Comércio)

http://www.opiniaolivre.com.br/index.php?flavor=vejamais&id=39876

Dilma não defende PMDB no JN e clima esquenta

19/10/2010 às 13:56 | Publicado em Política | 1 Comentário

Clipping – O clima ficou ruim

Site da Veja – 19 de outubro de 2010

por Lauro Jardim

A entrevista de Dilma Rousseff ontem no Jornal Nacional teve um efeito desastroso para a relação PT-PMDB. Por falta de experiência política, nervosismo ou sabe-se lá o quê, Dilma não saiu em defesa do PMDB quando perguntada sobre a gentil afirmação de um de seus coordenadores de campanha, Ciro Gomes, para quem o partido é “um ajuntamento de assaltantes”. Em sua resposta, Dilma tratou apenas de falar de Ciro — e nada de defender o PMDB. Antes mesmo de o JN terminar, o celular de Michel Temer, que a acompanhou no Rio de Janeiro, já tocava. Eram peemedebistas insatisfeitos — para usar um adjetivo suave. Temer, que depois se encontrou com Dilma, num evento com artistas, não tocou no assunto com ela, que também fez-se de morta. A avaliação da cúpula peemedebista é que, se Dilma ganhar no dia 31, o clima de disputa entre o partido e o PT vai se acirrar. No centro do jogo, a disputa pelos cargos. Mais: essa briga deve começar ainda no governo Lula. Peemedebistas acham que é hora de marcar posição: assim, já em novembro, quando o Congresso voltar a funcionar de fato a ideia é dar alguns sustos no PT, jogando duro com os projetos de interesse do governo. http://polibiobraga.blogspot.com/2010/10/dilma-nao-defende-pmdb-no-jn-e-clima.html

BB e Petrobras custeiam revista da CUT pró-Dilma

19/10/2010 às 10:57 | Publicado em Política | Deixe um comentário

Na Folha de São Paulo

Proibida de circular pela Justiça Eleitoral pelo conteúdo favorável à campanha de Dilma Rousseff (PT), a edição deste mês da "Revista do Brasil", vinculada à CUT (Central Única do Trabalhador), teve anúncios pagos por Petrobras e Banco do Brasil.

A estatal e o banco confirmam que são anunciantes da revista, mas se recusaram a informar o valor repassado.

Ontem, o ministro do TSE (Tribunal Superior Eleitoral) Joelson Dias determinou a interrupção da circulação da revista, cuja tiragem é de 360 mil exemplares mensais.

O responsável pela publicação, Paulo Salvador, disse, porém, que todas as revistas já foram distribuídas.

O entendimento do ministro é que a publicação faz defesa aberta da candidatura de Dilma. Pela Lei Eleitoral, sindicatos não podem contribuir direta ou indiretamente com campanhas políticas.

A decisão atende a um pedido da coligação de José Serra (PSDB). O mesmo ministro do TSE aplicou multa a Serra e ao diretório tucano na Bahia em julho por propaganda antecipada em maio.

Diz o TSE: "A representante noticia e traz elementos que demonstram a divulgação, por entidade sindical, ou criada por sindicatos, de mensagens de conteúdo aparentemente eleitoral, em publicações que distribuem e também em seus sítios na internet, o que, ao menos em tese, configuraria violação ao inciso da Lei Eleitoral".

A edição barrada traz uma foto de Dilma na capa sob o título "A vez de Dilma – o país está bem perto de seguir mudando para melhor".

Há, inclusive, foto de Dilma cumprimentando Marina Silva (PV) em evento com o presidente Lula. Também inclui reportagem sobre a derrota de oposicionistas da "velha guarda" no Senado.

Em meio à atual polêmica religiosa, a edição traz o bispo de Jales (SP), dom Demétrio Valentini, enaltecendo Lula e lembrando que Dilma é sua candidata.

A despeito da decisão do TSE, o conteúdo da revista estava na internet ontem.

O "conselho diretivo" da revista é formado por dirigentes da CUT e filiados ao PT, como o presidente da central, Artur Henrique, e Maria Izabel Noronha, a Bebel, que comandou greve de professores contra Serra.

A revista é produzida pela Editora Gráfica Atitude, administrada em rodízio pelos presidentes em exercício do Sindicato dos Metalúrgicos e do Sindicato dos Bancários.

Já estiveram à frente da empresa, por exemplo, o deputado estadual eleito Luiz Cláudio Marcolino (PT), aliado do deputado federal Ricardo Berzoini (PT), e o vice-presidente da CUT, José Lopez Feijóo, membro do "Conselhão" do governo federal.

http://jc3.uol.com.br/blogs/blogjamildo/canais/noticias/2010/10/19/bb_e_petrobras_custeiam_revista_da_cut_prodilma_81593.php?utm_source=twitterfeed&utm_medium=twitter

Em mensagem, Dilma não diz que irá vetar projetos sobre aborto

18/10/2010 às 08:33 | Publicado em Política | Deixe um comentário

FONTE: http://www1.folha.uol.com.br/poder/815219-em-mensagem-dilma-nao-diz-que-ira-vetar-projetos-sobre-aborto.shtml

MÁRCIO FALCÃO
DE BRASÍLIA

A candidata do PT à Presidência, Dilma Rousseff, se negou a dizer que irá vetar projetos referentes ao aborto na “mensagem” assinada hoje pra tentar acalmar o “mundo evangélico”. No meio da semana, Dilma foi cobrada por 51 representantes de igrejas evangélicas a assumir o compromisso de vetar qualquer projeto aprovado no Congresso “contra a vida e valores da família”.

Segundo líderes evangélicos que discutiram o texto com a candidata, a petista assumiu o compromisso de colocar a promessa no manifesto.

Na carta que será distribuída em templos e igrejas, Dilma repete declarações feitas ao longo da campanha, como ser “pessoalmente contra o aborto”, não encaminhar nenhuma legislação referente ao tema ao Congresso e defender a “manutenção da legislação atual sobre o assunto”, que só permite a prática em casos de estupro e risco de morte para a mãe.

Coordenador evangélico da campanha dilmista, o bispo da Assembleia de Deus e deputado Manoel Ferreira (PR-RJ) reconheceu o recuo, mas minimizou a falta do compromisso no documento.

“Ela assumiu solenemente o compromisso [de veto] apesar de não estar na carta. O mais importante é esse compromisso de que esses temas serão tratados pelo Congresso e nunca pelo Executivo. Acho que esta muito bem colocado e esse é o compromisso dela conosco ela não vai voltar atrás. A maior importância é a convicção do candidato”, disse.

Antes de ser candidata, Dilma defendia abertamente a descriminalização da prática –o fez, por exemplo, em sabatina na Folha em 2007 e em entrevista em 2009 à revista “Marie Claire”.

Depois, ao longo da campanha, disse que pessoalmente era contra a proposta. Hoje, diz que repassará a discussão ao Congresso.

FATURA

A fatura evangélica apresentada à candidata na quarta-feira exigia dela uma posição contrária sobre casamento homossexual, adoção de crianças por pessoas do mesmo sexo e regulamentação da função de profissionais do sexo, além da defesa da liberdade religiosa.

O documento não cita diretamente a polêmica em torno da união civil entre homossexuais e opta por compromissos genéricos em relação a outros temas-tabus sustentando que, se eleita, não pretende promover “nenhuma iniciativa que afronte à família”.

Na carta, Dilma afirma que se o projeto que criminaliza a homofobia, o chamado PLC 122, for aprovado no Senado, o “texto será sancionado nos artigos que não violem liberdade de crença, culto e expressão”. O temor dos cristãos é que o projeto impeça sermões e pregações contra homossexuais.

Sobre o PNDH 3 (3º Plano Nacional de Direitos Humanos), que causou polêmica por tratar do aborto, legalização da prostituição e defender que hospitais conveniados ao SUS façam operação de mudança de sexo, entre outros pontos, Dilma diz que o programa é uma “ampla carta de intenções” e que está sendo revisto. Dilma diz ainda que a família será o foco de seu eventual governo e que defende a liberdade religiosa.

Após forte reação, o governo tirou do programa, em maio, pontos como a revisão da lei que pune quem se submete ao aborto.

Ontem, dezenas de líderes católicos e evangélicos divulgaram um manifesto em apoio a Dilma.

“Não aceitamos que se use da fé para condenar alguma candidatura. Por isso, fazemos esta declaração como cristãos, ligando nossa fé à vida concreta, a partir de uma análise social e política da realidade e não apenas por motivos religiosos ou doutrinais”, diz a mensagem.

“No momento atual, Dilma Rousseff representa este projeto que, mesmo com obstáculos, foi iniciado nos oito anos de mandato do presidente Lula. É isto que está em jogo neste segundo turno das eleições de 2010”, completa a mensagem.

Fundador do PT, jurista Hélio Bicudo declara voto em Serra no segundo turno

18/10/2010 às 08:15 | Publicado em Política | Deixe um comentário

Um dos fundadores do PT e vice de Marta Suplicy (PT) na prefeitura de São Paulo (2001-2004), o jurista Hélio Bicudo, declarou voto no tucano José Serra no segundo turno das disputa à Presidência da República. Na primeira rodada de votação, Bicudo havia apoiado Marina Silva, do PV, em detrimento da presidenciável petista Dilma Rousseff. “Eu voto Serra no segundo turno porque não há escolha. O Serra é um homem competente, é um homem sério, eu nunca soube absolutamente nada contra o passado do Serra”, afirma o jurista, em um vídeo que começou a circular na internet no sábado. Tido como um militante histórico pelos direitos humanos no País, o jurista justificou seu voto alegando que o “continuísmo” do PT no poder “não é democrático”. “A alternância de poder é uma característica da democracia”, disse. Hélio Bicudo marcou sua atuação na história brasileira no final dos anos 60 e início dos 70, em plena ditadura militar, quando combateu os Esquadrões da Morte, nos quais pontificava o famigerado delegado Sérgio Paranhos Fleury. Nessa época ele foi recrutado pela repressão militar para atuar na caça e tortura de militantes e terroristas de esquerda. Veja a declaração de Hélio Bicudo no video abaixo.

http://poncheverde.blogspot.com/2010/10/fundador-do-pt-jurista-helio-bicudo.html

Ajudemos os patriotas! Espalhem esta: MST entra para valer na campanha de Dilma

15/10/2010 às 17:41 | Publicado em Política | Deixe um comentário


A candidata Dilma discursa em Sergipe com boné do MST

A candidata Dilma discursa em Sergipe com boné do MST

A presidenciável do PT, Dilma Rousseff, acaba de ganhar um apoio importante: o MST e seu braço internacional, a Via Campesina — que espalha os métodos do movimento América Latina afora (menos na Venezuela e em Cuba…) — decidiram se engajar para valer na campanha petista. É um apoio que a candidata recebe de bom grado, como se vê na fato acima.

Não faz muito tempo, João Pedro Stedile, o chefão do MST, admitiu em entrevistas que, com Dilma, as invasões de terra serão facilitadas. É compreensível a mobilização, não é mesmo? O governo também repassa recursos milionários ao movimento, que não existiria sem o apoio oficial. Nesta manhã, a propósito, cerca de 150 integrantes do movimento invadiram a superintendência estadual do Banco do Brasil, que fica no RibeirãoShopping, em Ribeirão Preto (SP). São os moderados.

Estes são os métodos dos aliados incondicionais de Dilma.

Por Reinaldo Azevedo

http://veja.abril.com.br/blog/reinaldo/geral/ajudemos-os-patriotas-espalhem-esta-mst-entra-para-valer-na-campanha-de-dilma/?utm_source=feedburner&utm_medium=feed&utm_campaign=Feed:+ReinaldoAzevedo+(Reinaldo+Azevedo)

Pesquisas mostram início de possível onda pró-Serra

15/10/2010 às 12:55 | Publicado em Política | 1 Comentário

As 4 pesquisas divulgadas até agora sobre a disputa pelo Palácio do Planalto mostram a formação de uma possível onda pró-José Serra (PSDB). Ainda serão necessárias outras sondagens para qualificar o solavanco sofrido por Dilma Rousseff (PT), mas é nítido que neste segundo turno a petista perdeu “momentum”.

Eis um resumo das 4 pesquisas já divulgadas neste segundo turno:

* CNT/ Sensus (11-13.out) – Dilma 46,8% X 42,7% Serra (diferença entre ambos: 4,1 pontos) (margem de 2,2 pontos percentuais)

* Ibope (11-13.out) – Dilma 49% X 43% Serra (diferença entre ambos: 6 pontos) (margem de 2 pontos percentuais)

* Vox Populi (10-11.out) – Dilma 48% X 40% Serra (diferença entre ambos: 8 pontos) (margem de 1,8 ponto percentual)

* Datafolha (8.out) – Dilma 48% X 41% Serra (diferença entre ambos: 7 pontos) (margem de 2 pontos percentuais)

Essas pesquisas não são comparáveis por serem realizadas com metodologias diferentes. Mas é possível dizer 1) todas apontam uma diferença sempre abaixo de 10 pontos entre Dilma e Serra e 2) a diferença entre a petista e o tucano parece se estreitar cada vez mais.

Dá para dizer que uma virada vai acontecer? Não, não dá. Mas seria temerário agora fazer qualquer tipo de prognóstico.

Ao que tudo indica, tem surtido efeito a estratégia tucana de comparar biografias e de atrair o eleitorado mais conservador.

Do seu lado, Dilma tem mostrado pouco o presidente Lula em suas propagandas. Só quando ela apareceu intensamente ao lado do seu padrinho político é que registrou altas nas pesquisas durante o primeiro turno.

Mas agora paira uma dúvida sobre a equipe de campanha petista: não se sabe se a imagem presidencial funcionaria mais como um remédio ou um veneno –ao reforçar a percepção de que a candidata governista não consegue andar com as próprias pernas.

http://www.clovisduarte.com.br/noticia_ler.php?id=243252

Próxima Página »

Crie um website ou blog gratuito no WordPress.com.
Entries e comentários feeds.